Sindjor MS e Sinjorgran pedem à Saúde que jornalistas sejam vacinados contra influenza

em
MS_Influenza_Header_Facebook_851x360px
 
 
 
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (Sindjor MS) e o Sindicato dos Jornalistas da Grande Durados (Sinjorgran), em ação conjunta, enviaram nesta sexta-feira, 27, ao secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, ofício solicitando que os jornalistas de MS sejam incluídos entre os grupos que receberão as vacinas contra influenza, com base no Decreto federal 10.288 de 22 de março de 2020. O ofício, enviado por e-mail, foi recebido pela assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Saúde e será encaminhado ao gabinete do secretário.
A iniciativa dos dois sindicatos de Mato Grosso do Sul faz parte de um movimento iniciado por sindicatos da categoria no país. Os da Bahia e do Rio Grande do Norte são algumas entidades que fizeram o pedido em favor dos jornalistas que representam.
 
Eis a íntegra do ofício:
 
Campo Grande e Dourados, 27 de março de 2020
 
 
Exmo. Sr. secretário estadual de Saúde
Geraldo Resende
 
Dispensando qualquer introdução sobre a gravidade da crise de saúde pública que vivemos, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (Sindjor MS) e o Sindicato dos Jornalistas da Grande Dourados (Sinjorgran) vêm, conjuntamente, requisitar que os profissionais de imprensa do Estado sejam incluídos entre os grupos que receberão as vacinas contra influenza, em campanha já iniciada pelos órgãos de saúde municipais.
Lembramos que o Decreto 10.288, de 22 de março de 2020, publicado em edição extraordinária do Diário Oficial da União, define os serviços relacionados à imprensa como essenciais e que os profissionais devem receber medidas para evitar adoecimento:
Art. 4º São considerados essenciais as atividades e os serviços relacionados à imprensa, por todos os meios de comunicação e divulgação disponíveis, incluídos a radiodifusão de sons e de imagens, a internet, os jornais e as revistas, dentre outros.
§ 1º Também são consideradas essenciais as atividades acessórias e de suporte e a disponibilização dos insumos necessários à cadeia produtiva relacionados às atividades e aos serviços de que trata o caput.
§ 2º É vedada a restrição à circulação de trabalhadores que possa afetar o funcionamento das atividades e dos serviços essenciais de que trata este Decreto.
§ 3º Na execução das atividades e dos serviços essenciais de que trata este Decreto deverão ser adotadas todas as cautelas para redução da transmissibilidade da covid-19.
Somando as duas bases sindicais, há no Estado, aproximadamente, 1,3 mil profissionais. São 900 jornalistas na base do Sindjor MS, que abrange Campo Grande e mais 53 municípios, e 400 na do Sindjorgran, que representa Dourados e mais 24 municípios da Grande Dourados.
A identificação do profissional de imprensa poderá ocorrer por meio de sua identidade profissional, emitida por nossa entidade de classe (FENAJ); carteira de trabalho com registro ou contrato de trabalho; crachá de veículo de comunicação.
Certos de sua compreensão da importância dessa medida e do pronto atendimento desta solicitação, ficamos à disposição para qualquer esclarecimento adicional.
 
Walter Gonçalves Filho
Presidente do Sindjor MS
Karine Segatto
Presidente do Sinjorgran
 
 
Arte: Adaptação da Campanha do Ministério da Saúde

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s